Sobre acessibilidade

Serviços

05/02/2018 - 13:45

Em 1987 o servidor público Jorge Abel de Aguiar, 59, precisou ter calma e confiança para ajudar no resgate das vítimas do desabamento de um edifício em Belém. Hoje com 35 anos na Cruz Vermelha, ele sabe que é preciso ter preparo e equilíbrio emocional para realizar os primeiros socorros que, se for feito de forma correta, pode salvar vidas ou evitar possíveis sequelas.

“Quando aconteceu esse acidente, a Cruz Vermelha foi convocada para ir ajudar no resgate, erámos poucas pessoas na equipe e não havia recursos para facilitar a busca. Foi preciso fazer trabalhos manuais para retirar as vítimas debaixo dos escombros e, durante os três dias  que passamos ajudando, foi preciso ter muita calma e cuidado para realizar os procedimentos de  primeiros socorros e ajudar aquelas pessoas que estavam acidentadas”, disse Jorge Abel. Muitas dessas técnicas estão disponíveis  no aplicativo de primeiros socorros da entidade.

De acordo com o médico auditor do Instituto de Assistência dos Servidores do Pará (Iasep) Jorge José Faro, os primeiros socorros são essenciais, pois além de salvar vidas, evita o agravamento do quadro de saúde do paciente. Por isso, é importante que todos saibam como lidar em ocasiões de perigo, principalmente quando não houver ajuda médica próxima. Segundo o profissional, o aplicativo da Cruz vermelha, é um auxilio que pode ser consultado por qualquer pessoa como forma de prevenção para casos que possam vir ocorrer. O Iasep divulga técnicas de primeiros socorros, baseados nas dicas da Cruz Vermelha.

O Coordenador do departamento estadual de Gestão da Cruz Vermelha no Estado do Pará, Carlos Moraes, informa que  os primeiros socorros são as medidas a serem tomadas diante de um acidente ou mal súbito, podendo ser feito por qualquer pessoa que saiba como agir em cada tipo de situação. Pois, se forem realizados de qualquer maneira, sem nenhum preparo, pode agravar ainda mais o estado de saúde do paciente.

Segundo o coordenador, manter a calma no momento em que for prestar qualquer  tipo de socorro é fundamental para manter a integridade tanto da vítima quanto do socorrista. “Uma pessoa em desespero ou medo não consegue pensar e raciocinar vai agir por impulso e causar outras lesões na vítima” alertou. Em situações que não souber como agir, ele recomenda pedir ajuda a vizinhos ou pessoas próximas do local do acontecido.

 Antes de prestar algum tipo de ajuda, Carlos Moraes recomenda analisar a cena do acidente, se for em rua, é preciso atentar-se para a aproximação de automóveis e sinalizar o local do ocorrido. Casos em domicílio deve-se atentar para que a pessoa não se machuque, é preciso retirar os objetos que estejam próximo da vítima e chamar atendimento especializado, por mais que apresente melhora imediata, os primeiros socorros não substituem ajuda médica.

 O Coordenador alerta para buscar se informar sobre os primeiros socorros para agir de maneira correta diante de uma situação de emergência. “Muitas pessoas só buscam fazer treinamento e  se informar após ter passado por uma situação em que precisou  ajudar algum familiar ou amigo e não soube o que fazer, mas o correto é que busque esses conhecimentos antes do acontecido”, disse ele.