Sobre acessibilidade

Serviços

24/05/2019 - 14:15

 

Doença silenciosa que pode levar à cegueira afeta 2% dos brasileiros acima de 40 anos

O Dia Nacional de Combate ao Glaucoma é celebrado todo 26 de maio. A data foi criada para conscientizar a população sobre a importância do diagnóstico precoce da doença. O glaucoma é considerado a principal causa de cegueira irreversível no mundo, em grande parte porque, em muitos casos, não apresenta sintomas até já estar em estágio avançado.

O glaucoma nada mais é do que o aumento da pressão intraocular, ou seja, dentro dos olhos, que vai gradativamente causando diminuição da visão. No Brasil, de acordo com a Sociedade Brasileira de Glaucoma, a doença atinge 2% dos brasileiros acima dos 40 anos, resultando em cerca de um milhão de pessoas.

Segundo o oftalmologista do Instituto de Assistência dos Servidores do Estado do Pará (Iasep), Dr. Fernando Dias, infelizmente a condição não tem cura, e é por isso que o tratamento é fundamental para haver o controle. “Enxaqueca, miopia e apneia do sono são alguns dos sintomas apresentados quando a doença já está avançando. Pessoas negras, com mais de 40 anos, diabéticos e com histórico familiar de glaucoma fazem parte do grupo mais afetado. Caso você se encaixe em um dos requisitos, procure um oftalmologista urgentemente”, recomenda o médico.

O melhor tratamento vai depender de cada paciente e de como os olhos vão reagir às intervenções. Pode ser feito por meio de colírios, laser ou até mesmo cirurgias. Para o segurado do Iasep Adiel Andrade Costa, de 52 anos, o uso do colírio de 12 em 12 horas foi a solução, após descobrir que era portador da doença, há dois anos.

“Eu tinha enxaquecas terríveis, a ponto de não conseguir dormir. Quando notei que o que eu estava sentindo não era normal, procurei o oftalmologista e recebi o diagnóstico. Já suspeitava que poderia ser glaucoma, pois minha mãe também faz o tratamento. Após o uso do colírio, até o meu humor mudou, já que as dores haviam sumido”, conta Adiel.

O militar da reserva compareceu até a sede do Iasep para solicitar, pelo segundo ano consecutivo, o aumento de cotas, por meio do Programa de Procedimentos Adicionais, que beneficia pessoas com doenças crônicas. No caso do glaucoma, um segurado cadastrado no programa tem direito, além das cotas anuais regulares, a mais consultas e exames especializados, como retinografia, tonometria e ceratoscopia. O objetivo é garantir que a pessoa com a doença tenha garantido todo o tratamento necessário para a sua condição crônica. Em 2018, o Iasep cadastrou um total de 120 segurados no programa.

Texto: Crystine Vasconcelos, sob supervisão de Ádria Azevedo

Foto: Crystine Vasconcelos