Sobre acessibilidade

Serviços

25/04/2018 - 14:15

A proteção ao paciente em tratamento oncológico foi discutida em reunião, nesta sexta-feira (20), entre gestores do Instituto de Assistência dos Servidores do Estado do Pará (Iasep) e da empresa Auditoria Médica (Aumed), contratada pelo Instituto para auxiliar na regulação em saúde. Os técnicos do setor vão reavaliar os protocolos clínicos do Plano Iasep com o objetivo de garantir maior efetividade nos tratamentos contra o câncer.

“É necessário analisar principalmente a questão de medicações off label (sem registro e indicação de uso respaldados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa) e a necessidade das clínicas oferecerem total amparo aos pacientes no caso de intercorrências durante o procedimento quimioterápico”, orientou a presidente do Instituto, Iris Gama, aos médicos e demais profissionais envolvidos na revisão das regras de regulação do órgão.   

De acordo com o Relatório de Gestão do Instituto, 850 segurados do Iasep realizaram 10.452 sessões de quimioterapia em 2017. Além de quimioterapia em clínicas e hospitais, o plano dos servidores garantiu 289 radioterapias e radiocirurgias, com todo o aporte cirúrgico necessário. O Relatório do Iasep aponta um investimento médio de R$ 5 milhões por mês com tratamentos contra o câncer, com base nas evidências terapêuticas e protocolos utilizados.

Na reunião, a gestora do plano destacou a importância da regulação e da auditoria médica para que o plano tenha recursos suficientes para atender toda a oferta em saúde requerida pelos mais 210 mil segurados no estado. “Além do amparo ao paciente oncológico, as regras de regulação devem também garantir que os recursos do plano sejam investidos de forma eficiente, visando o equilíbrio atuarial do plano”, afirmou a presidente.

Tratamento

Segurada do Iasep há mais de 20 anos, a servidora aposentada Geraldina Brito, de 76 anos, afirma sobre os procedimentos oncológicos realizados pelo plano “são completos e bons”. Diagnosticado com câncer em diversos órgãos, ela luta há seis anos contra a doença e garante que sempre recebeu do Iasep todo o amparo necessário.

“Hoje vim buscar cota para a realização de novos exames, mas não tenho do que reclamar, aliás, só tenho a agradecer, porque sempre consegui tudo para o meu tratamento. Posso dizer que sou uma pessoa feliz”, garantiu a aposentada. Como ela, outros pacientes oncológicos também procuram a gestão do plano para inclusão no Programa de Procedimento Adicional, que garante aos pacientes crônicos mais cotas para consultas e exames. 

Cerca de 850 segurados estiveram em tratamento de câncer no ano passado. O tipo mais comum registrado pelo Instituto é o câncer de mama (72), seguido pelo câncer de próstata (71), cólon/reto (29), aparelho digestivo (25), pulmão (24), útero/ovário (24). Ao todo, foram registrados 33 tipos de casos oncológicos em tratamento pelo plano.

A rede de saúde do Iasep oferece tratamento oncológico em Belém, Ananindeua, Marabá e Santarém. No Guia Médico, o Instituto aponta seis clínicas e dois hospitais credenciados em oncologia. Para dar início ao tratamento, o segurado deve escolher uma das empresas disponíveis no Guia.

Fonte: Agência Pará

Tags: