Sobre acessibilidade

Serviços

19/11/2021 - 22:00

 

Na manhã dessa sexta-feira (19), servidores, colaboradores, estagiários e até familiares de trabalhadores do Instituto de Assistência dos Servidores do Estado do Pará (Iasep) compareceram, em caravana, para doação de sangue na Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Estado do Pará (Hemopa). Os doadores participaram da Gincana Instituição Cidadã, em que os órgãos estaduais incentivam o maior número de pessoas vinculadas a cada pasta a doar, em uma saudável e solidária competição.

A caravana do Iasep contou com 16 candidatos a doação e mais a presença do presidente da autarquia, Bernardo Almeida, ele mesmo um doador frequente, que só não doou porque sua última doação foi há 40 dias. “É com muita alegria que estamos aqui, pois doar sangue é doar vida. Nessa mobilização de todos os órgãos e secretarias, o Iasep não poderia faltar”, disse.

O presidente do Hemopa, Paulo Bezerra, agradeceu a presença da caravana. “A vinda dos servidores para a doação é fundamental para mantermos a regularidade do nosso estoque de sangue. E o Iasep hoje está aqui para essa ação tão importante que é de salvar vidas””, pontuou.

Uma das doadoras do Iasep foi a estagiária Melissa Mendonça, que doou pela primeira vez. “Doar sangue já era uma vontade minha há muito tempo, era um objetivo pessoal. Já tive familiar que precisou de sangue, mas ainda era criança e não podia doar. Então quando eu soube que teria a gincana pelo Iasep, pensei que era o momento. Estou muito feliz”, comemorou.

Já o servidor Fabiano Andrade já doou inúmeras vezes. “Costumo doar anualmente. Acho que devemos ajudar as pessoas, porque tem muitas precisando. E quando você começa a doar, acaba virando uma rotina”, opinou.

A colaboradora Joceli Santos não apenas foi doar como levou junto uma sobrinha para fazer o mesmo. “Essa gincana é muito boa, porque facilita para a gente vir, é todo um suporte, então não pensei duas vezes em vir”, explicou. “Eu já havia doado antes, mas fazia tempo que não doava. Acho muito importante, porque tem muita gente que precisa, e querendo ou não um dia a gente pode precisar também”, finalizou.

 

Texto: Ádria Azevedo

Fotos: Leonardo Ribeiro

Núcleo de Comunicação/Iasep