Sobre acessibilidade

Serviços

26/08/2020 - 15:45

 

Atualmente, mais de 450 pessoas são beneficiadas pela iniciativa em Belém, Ananindeua e Marituba

“O acompanhamento da equipe multiprofissional do Programa AssistLar é excelente. O meu filho, que participa desde os quatro meses, já apresentou melhoras significativas, com um ganho de amplitude do enrijecimento das mãos e dos pés, além da evolução na parte motora e na deglutição. Nós acompanhamos as melhoras no desenvolvimento e a qualidade de vida que as atividades garantem pro dia a dia dele”, afirma Romeu Biasan, servidor da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel) e pai do Nicolas, de um ano, segurado do Instituto de Assistência dos Servidores do Estado do Pará (Iasep) e participante do Programa AssistLar.

O AssistLar, criado em 2010 pelo Instituto, garante assistência à saúde em domicílio àqueles segurados que não têm condições clínicas e funcionais de ser atendidos a nível ambulatorial. Atualmente, mais de 450 pessoas são atendidas pelo Programa. Em julho, 16 segurados foram incluídos nos atendimentos e, neste mês de agosto, até esta quarta-feira (26), foram oito novas pessoas registrados. O Programa abrange os segurados que moram em Belém, Ananindeua e Marituba.

“A nossa estratégia é atuar junto com a família do paciente, garantindo a assistência no seu próprio domicílio. Buscamos a promoção, recuperação e reabilitação da saúde dos nossos segurados que não tem como receber atendimento ambulatorial. São pacientes acamados, em pós-operatório ou que apresentam sequelas que dificultam o seu deslocamento”, explica a gerente do AssistLar, Rebeca Gomes.

O Programa conta com uma equipe de regulação do serviço, composta por médicos, enfermeiros, nutricionistas, psicólogos e assistentes sociais; e com duas equipes multiprofissionais credenciadas para apoio terapêutico, compostas por fisioterapia, fonoaudiologia, terapia ocupacional, orientação nutricional, psicoterapia, alimentação enteral, oxigenoterapia, fornecimento de material para curativos e ostomias, e transporte por ambulância.

Desde o início da pandemia da Covid-19, todas as medidas preventivas e protocolos de saúde estão sendo cumpridos pelas equipes do AssistLar. Segundo a médica Martha Santana, que integra a equipe de regulação, todos os profissionais realizam os atendimentos paramentados com Equipamentos de Proteção Individual e com equipe reduzida, para garantir o distanciamento necessário, com maior segurança, tanto para os servidores, quanto para os pacientes atendidos. O teleatendimento é outra estratégia utilizada pelo Programa durante da pandemia.

“O trabalho das equipes do AssistLar reduzem os processos de hospitalização dos nossos segurados, garantem maior rotatividade dos leitos e retiram o paciente do ambiente hospitalar. O custo é minimizado e a gente consegue garantir maior qualidade de vida ao paciente que recebe atendimento no âmbito domiciliar”, assegura a gerente do Programa.

Nicolas, filho do Romeu Biasan, é acompanhado pela equipe multidisciplinar do Programa. “Ele realiza fisioterapia todos os dias, e a terapeuta ocupacional e a fonoaudióloga realizam sessões três vezes por semana. O acompanhamento nutricional é mensal e está na fase de introdução de novos alimentos. Ele nasceu sem o reflexo de deglutição e recebe alimentação via enteral, por meio de uma sonda. A deglutição vem evoluindo dia após dia com o trabalho integrado das profissionais, para que ele tenha autonomia para se alimentar”, comemora o servidor.

Desde o pré-natal, o médico identificou que a criança precisaria do acompanhamento de uma equipe multiprofissional e orientou sobre o Programa do Instituto. Nicolas foi diagnosticado com a síndrome de Dandy Walker, uma condição de artrogripose congênita, que causa complicações no âmbito neurológico, alimentar, psicomotor e é caracterizada pela má-formação das articulações da criança.

“Todos os profissionais são excepcionais, criaram um vínculo afetivo muito forte com o meu filho. Ele adora todos. Desde o início do tratamento, recebi toda a assistência e suporte do Programa, sou muito grato por essa possibilidade de realizar os tratamentos que ele precisa em casa”, complementa o pai.

Desburocratização

Desde janeiro de 2020, o Iasep conta com novas regras para o Programa de Assistência Domiciliar, conforme a Instrução Normativa nº 001/2020, que define melhor os parâmetros da ação e garante, com mais detalhes, os direitos dos segurados à assistência em domicílio. Veja aqui quais são as normativas.

 

Texto: Giovanna Abreu

Fotos: Bruno Cecim

Agência Pará