Sobre acessibilidade

Serviços

20/12/2017 - 11:00

Os primeiros socorros são essenciais para garantir a vida e a segurança da pessoa acidentada. Manter a calma, saber os procedimentos  a serem feitos e realiza-los de maneira correta, diminue o sofrimento, previne possíveis complicações e ajuda na recuperação da vítima. Considerando os casos mais comuns, essas são as dicas de primeiros socorros sugeridas pelo Aplicativo Cruz Vermelha. 

O socorro prestado não dispensa atendimento médico, por mais que a vítima apresente melhoras, é necessário solicitar ajuda. Em situações de emergência ligue 192. 

 

Ataque Cardíaco 

A vítima pode apresentar uma dor aguda e opressiva no peito ou um desconforto do tipo formigamento ou dormência nos membros: pescoço, braços, queixo, costas ou estômago.

O que fazer?

-  Solicite ajuda médica. Ligue 192. 

- Coloque-a numa posição confortável para que diminua a pressão no coração (sentada e encostada numa parede ou cadeira). Se estiver sentada, terá menor chance de se machucar em caso de inconsciência.

- Procure tranquilizar a pessoa enquanto aguarda atendimento médico.

- Se a vítima estiver consciente e respirando, deve-se observar a elevação do tórax, caso seja do sexo masculino, exponha o tórax para que seja melhor a visualização.

- Coloque a vítima de lado e incline a cabeça dela para trás, essa posição ajuda a manter a via aérea aberta, pois a língua cai para frente e, se houver vomito, são facilmente expelidos pela boca.

- Se a pessoa estiver inconsciente e não respira, é necessário verificar a respiração, em seguida incline a cabeça da pessoa para trás e tente ver e ouvir e sentir a sua respiração.

- O socorrista deve se ajoelhar ao lado da vítima na altura dos ombros dela.

- Em seguida, com seus braços estendidos, deve apoiar uma mão em cima da outra sobre o toráx da vítima, no centro da linha imaginária que liga os mamilos. 

- Empurre firmemente para baixo no meio do peito e depois alivie bem, mas sem perder o contato com o peito da vítima. Quando empurrar, faça-o com força e com um movimento rápido. É preciso manter a frequência de, pelo menos,100 compressões por minuto. Reanimação cardiorrespiratória é indicada apenas para pessoas com formação certificada. 

 

Hemorragia 

Hemorragia é a perda de sangue em decorrência de um ferimento, que pode ser externo ou interno. Após uma queda, atropelamento ou mesmo durante uma gravidez de risco, suspeite de hemorragia quando a vítima apresentar sintomas como palidez, sonolência, suor excessivo, frequência cardíaca acelerada, dor na região lombar, contusões e manchas na pele.

O que fazer?

- Solicite atendimento médico. 

- Pegue um pano esterilizado ou bem limpo e faça pressão sobre a hemorragia para estancar ou reduzir o fluxo de sangue. Em caso que não houver kit de primeiros socorros, pode usar a mão para estancar o sangue. 

- Para casos de hemorragias nasais, o socorrista deve sentar a vítima com a cabeça ereta olhando para frente. Não peça à vítima para se inclinar para trás, pois o sangue pode entrar na traquéia e bloquear a passagem do ar ou pode ir para o estômago e causar vômito. 

- Enquanto aguarda a chegada do atendimento médico, comprima as narinas da vítima com os dedos por 10 minutos. Em seguida, repita o procedimento se o sangramento persistir.  

Cuidados

- Não lave a ferida que estiver sangrando muito, pois poderá remover todos os agentes coagulantes e aumentará a hemorragia.

- Não faça movimentos bruscos na vítima se houver risco de fratura.

 

Fratura

A fratura é a ruptura dos ossos, ou seja, quando acontece uma perda da continuidade óssea. Após um traumatismo, o osso se divide em dois ou mais fragmentos. O principal sintoma é a dor, causando a perda de funcionalidade, dependendo da área afetada.

O que fazer?

- Solicite ajuda médica. 

- Ajude a imobilizar a fratura com o uso de talas. Não havendo talas disponíveis, é possível improvisar com pedaços de papelão, revistas, jornais dobrados ou pedaços de madeira, que devem ser acolchoadas com panos limpos e amarrados ao redor da articulação para evitar movimentos desnecessários.

 

- Em caso de fratura exposta, deve-se cobrir o ferimento, de preferência com gaze esterilizada ou um pano limpo.

- Verifique o membro fraturado esteja devidamente imobilizado para proporcionar alívio na dor e previnir outras possíveis lesões. 

Cuidados

- Nunca tente endireitar uma fratura ou colocar o osso no lugar.

 

Crise Epilética

A epilepsia ocorre devido as alterações na condução de impulsos nervosos no cérebro, ocorrendo uma atividade elétrica excessiva. Os principais sintomas incluem convulsões, que são contrações violentas e involuntárias dos músculos, e muitas vezes ocorrem sem aviso, podendo ocorrer de dia ou durante o sono, afetando indivíduos de todas as idades, desde bebês até idosos.

O que fazer?

- Proteja a cabeça da pessoa com uma toalha ou almofada  com pouca altura para não comprometer suas vias respiratórias.

- Após a crise, coloque a pessoa em posição lateral com a cabeça inclinada para trás. É preciso afrouxar as roupas da vítima para facilitar a respiração.

- Permaneça com a pessoa até que recupere os sentidos e respire normalmente

- Se a crise dura mais do que 5 minutos, solicite atendimento médico.

Cuidados

- Não tente conter a crise, pois poderá causar lesões na vítima ou em si próprio. 

- Durante a crise epilética, não coloque na boca da vítima canetas, panos enrolados ou outros objetos, pois as contrações musculares durante a crise convulsiva são muito fortes e isso pode causar danos tanto ao socorrista quanto a vítima, que poderá se machucar com esses objetos ou inconscientemente poderá mordê-lo.

 

Insolação

A insolação é causada pela exposição excessiva ao sol, resultando em um aumento de temperatura do organismo acima dos limites fisiológicos. Os principais sintomas são: pele avermelhada, olhos inchados, vômitos e por vezes alteração da consciência. 

O que fazer?

- Leve a pessoa para um local fresco e arejado. Passe água pelo corpo e aplique compressas com água na testa e principalmente nas articulações (pescoço, nas axilas e nas virilhas), para ajudar a baixar a temperatura.

- Se a pessoa estiver consciente, dê pequenos goles de água e assegure-se de que a vítima beba lentamente.

- Deixe a pessoa mais arejada possível, removendo parte da sua roupa.

Cuidados

- Mantenha-se sempre hidratado e ao sair de casa use protetor solar, que além de evitar o envelhecimento precoce, hidrata a pele e protege contra queimaduras. Escolha o filtro mais adequado ao seu biótipo.

- Procure usar acessórios como bonés, viseiras e óculos de sol.

 

Queimaduras

Queimaduras são lesões que danificam os tecidos do organismo e podem atingir diferentes camadas do corpo. São causadas, na maioria das vezes, por agentes térmicos, químicos, elétricos ou radioativos. Os sintomas variam de uma sensação de pequeno desconforto a uma emergência com risco de vida, dependendo do tamanho e da profundidade (grau) da queimadura.

O que fazer?

- Solicite ajuda médica caso a queimadura seja de grau elevado. 

- Coloque a região queimada debaixo de água corrente para esfriar por, pelo menos, 10 minutos.

- Se a queimadura necessitar de cuidados médicos, após o esfriamento, ligue 192 para encaminhar o quanto antes ao serviço especializado.

- Se a queimadura for de 2º grau, cubra a região com uma gaze molhada durante as primeiras 48 horas, trocando sempre que necessário.

Cuidados:

 - Não aplique qualquer produto como óleo ou manteiga na queimadura.

-  Não retire pele morta ou fure bolhas.

- Usar gelo pode danificar ainda mais a pele. 

 

Acidente Vascular Cerebral (AVC)

O acidente vascular cerebral, ou derrame cerebral, ocorre quando há um entupimento ou o rompimento dos vasos que levam sangue ao cérebro provocando a paralisia da área cerebral que ficou sem circulação sanguínea adequada. 

O que fazer? 

- Ligue para 192.
- Tranquilize a pessoa e a mantenha em repouso. 
- Peça para pessoa movimentar os braços. 
- Verifique se a pessoa consegue falar.

Cuidados: 

- Não dê nada para pessoa ingerir.
- Não perca tempo esperando uma ambulância, utilize qualquer meio de transporte rápido. 

 

FONTE: Aplicativo Cruz Vermelha, Aplicativo Dr Drauzio Primeiros Socorros