Sobre acessibilidade

Serviços

28/02/2019 - 17:00

Na manhã dessa quinta-feira (28), o Instituto de Assistência dos Servidores do Estado do Pará (Iasep) aproveitou o momento de proximidade com o carnaval para realizar uma atividade de prevenção, enfocando as infecções sexualmente transmissíveis (IST). O evento foi uma iniciativa da Gerência de Assistência Preventiva da autarquia e contou com a parceria da Coordenação de IST/Aids da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa).

Duas minipalestras foram direcionadas a diferentes públicos, em duas salas de espera do Iasep. O farmacêutico da Sespa Marcos Santos falou sobre as formas de contaminação por IST e também sobre as maneiras de se prevenir. “Temos os preservativos, que devem ser usados em todas as relações sexuais, que são as barreiras físicas. Mas também existem as barreiras químicas: a profilaxia pós-exposição (PEP) e a profilaxia pré-exposição (PrEP)”, explicou.

O palestrante esclareceu que quem teve um possível contato com o HIV, como uma relação desprotegida, pode buscar a PEP, em até 72 horas, para evitar a contaminação. Já a PrEP é de uso preventivo e se restringe a populações-chave, como gays, pessoas transgêneras e trabalhadores/as do sexo. “Mas a existência desses recursos não significa, de maneira nenhuma, que se pode abrir mão da camisinha. Pelo contrário, a prevenção deve ser combinada”, complementou o farmacêutico.

Conhecimento - O aposentado da Imprensa Oficial do Estado (IOE) Pedro Pimentel, um dos segurados que assistiu a palestra, achou a iniciativa importante. “Essas ações deveriam acontecer sempre aqui, não só sobre esse assunto, mas sobre outras doenças. Por ter sido doador de sangue por muito tempo, eu já sabia dessas informações, mas acho que algumas coisas foram novidade para muita gente aqui”, opinou.

A pedagoga Rafaela Lima acompanhava sua mãe, segurada do Iasep, e se surpreendeu com alguns dados citados na palestra. “Não sabia que a hepatite B pode ser transmitida na manicure não só com os alicates, mas também com os pauzinhos de limpeza e até com os esmaltes. Achei a explicação muito clara e informativa”, elogiou.

Para Daniele Brito, gerente de Assistência Preventiva, o papel do Iasep é não apenas oferecer o cuidado para o segurado que já adoeceu, mas também evitar seu adoecimento. “E a sala de espera é um recurso propício para fazermos isso, porque as pessoas ficam aguardando e esse tempo pode ser aproveitado de forma positiva, com conhecimento”, finalizou.

Texto e foto: Ádria Azevedo (Núcleo de Comunicação/Iasep)