Sobre acessibilidade

Serviços

14/11/2019 - 14:45

 

Diabetes mellitus é uma doença crônica que surge quando o pâncreas produz quantidades insuficientes de insulina, hormônio responsável pelo controle do açúcar no sangue. Essa condição pode gerar outras complicações, como problemas no coração, nos olhos e nos rins. A gravidade e os altos índices da doença motivaram a criação do Dia Mundial do Diabetes, celebrado em 14 de novembro, para alertar sobre a importância da prevenção.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, 16 milhões de brasileiros sofrem de diabetes. Dependendo do tipo, a doença pode se manifestar de diferentes formas. “Os mais comuns são o tipo 1, que atinge principalmente crianças e jovens, que já nascem com alterações genéticas, e o tipo 2, que está relacionado aos hábitos da pessoa: sobrepeso, falta de atividade física, má alimentação e consumo de álcool e outras drogas”, explica Moisés Vaz, enfermeiro e gerente de Regulação em Saúde do Iasep.

Os sintomas também variam de acordo com o tipo e demoram a aparecer. Mas, quando aparecem, costumam ser fome excessiva, sede frequente, tontura, fadiga, perda de peso, vômito, feridas que demoram a cicatrizar e visão embaçada. Além dos sintomas, é necessário ficar atento aos fatores de risco: quem tem histórico da doença na família, hipertensão, obesidade e colesterol alto tem mais chances de ter diabetes e precisa estar sempre em dia com os exames de rotina.

Prevenção – A melhor prevenção é ter hábitos saudáveis, manter o peso adequado e reduzir o consumo de açúcar e gordura. Mas, se apresentar sinais, é preciso buscar tratamento com urgência, para evitar agravamento e complicações, que podem envolver insuficiência renal crônica, doenças cardíacas, amputações, cegueira, coma e até mesmo morte.

Cobertura – O Iasep oferece serviços variados para o tratamento do diabetes. Além das cotas anuais regulares de consultas e exames, o segurado com a doença tem acesso ao Programa de Procedimentos Adicionais, que disponibiliza cotas extras, dependendo da necessidade. Atualmente, o instituto tem 1.693 segurados inscritos no programa de diabetes, sendo 68% de mulheres. Do total, 277 já apresentam complicações, como insuficiência renal crônica e glaucoma.

É o caso de Francisco Rocha, segurado do Iasep há mais de 25 anos, diagnosticado com a doença há cinco. “O diabetes afetou minha parte sanguínea, e quando cheguei no hospital, já estava mais morto do que vivo. Agora, tenho muito cuidado com a dieta, pois a alimentação é tudo. O meu diabetes foi adquirido, não hereditário, porque eu tomava muito refrigerante, comia sanduíches, coxinha, comia fora de hora e isso foi fazendo acúmulo de gordura”, conta.

Hoje, além do diabetes, o segurado faz tratamento para as doenças associadas, hipertensão e insuficiência renal crônica, incluindo três sessões semanais de hemodiálise, tudo pelo plano. “Sempre fui bem atendido pelo Iasep. Graças a Deus o instituto compreendeu minha necessidade e liberou as cotas adicionais. Hoje, faço todo o meu tratamento, sem me preocupar”, conta Francisco.

 

Texto: Thâmara Magalhães, sob supervisão de Ádria Azevedo

Foto: Thâmara Magalhães

Núcleo de Comunicação/Iasep